top of page
Buscar

Educação Sentimental: a pedagogia bressaniana do sensível.

Atualizado: 25 de jan.




Por Danilo Dias de Freitas


Contemplar é participar

Áurea - Educação Sentimental


Outra vez, diante de um filme de Bressane, a pergunta abissal: por onde segurá-lo? Por onde absorvê-lo a ponto de ser possível pensá-lo? É o filme que se esgueira de nossa sensibilidade ou seria nossa sensibilidade demasiadamente utilitária, engessada pela razão burguesa? Por que, enfim, a necessidade de uma ancoragem? 

Talvez esteja aí, se não o problema definitivo, uma pista para as questões colocadas em bloco: a sensibilidade é também uma produção social, pois, como diz Áurea em um de seus monólogos mais interessantes, “a tirania da economia política empedrou o coração do homem. Não há mais lugar para a sensibilidade. Hoje, o obsceno é a sensibilidade..”. 

A pedagogia do sensível proposta por Áurea (e Bressane) é obscena em dois sentidos: no sentido de obscenus e obscurus

Obscenus porque ridiculariza o pudor burguês, o sujo segredinho familiar. Porque mostra que o desejo e a libido são excesso, transbordamento de conexões reais, investimentos infraestruturais; não Édipo, superestrutura, teatrinho de representações e desejo pela mamãe. 

Obscurus porque coloca em questão aquilo que foi originalmente encoberto, recalcado: a relação imanente da sensibilidade humana com as forças cosmológicas do real; não o desejo incestuoso (outra vez, o sujo segredinho familiar), como quer “a ignorantona” - mãe de Áureo. 

Daí a força que o sonho e a dança adquirem no filme - modos de (re)conexão sensível com este inconsciente das forças cosmológicas do real. Em Educação Sentimental, mais que em Filme de Amor, não se trata de transgressão dos interditos colocados pela separação entre natureza e cultura, mas de sobreposição modular, imagética, sonora; um único solo existencial, a reconexão do corpo com o espírito, dos deuses com os mortais, da Lua com Endimião. Em suma, Áurea e Áureo fechando o círculo de duas faces infinitas e sem altura que é o plano de imanência.



Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page